Mundos virtual e real se aliam no Google Maps

Kioskea quarta 8 de agosto de 2012 - 18:01:32


(Arquivo) O vice-presidente da Google Earth and Maps, Brian McClendon

A gigante da internet Google deu mais um passo, nesta quarta-feira, na busca da fusão da internet com o mundo real, através de seu serviço de localização geográfica Google Maps, com o objetivo de se colocar no centro do estilo de vida "móvel".

A gigante da internet Google deu mais um passo, nesta quarta-feira, na busca da fusão da internet com o mundo real, através de seu serviço de localização geográfica Google Maps, com o objetivo de se colocar no centro do estilo de vida "móvel".

O titã californiano da tecnologia somou Polônia e Ucrânia à sua lista de mais de 200 países e regiões onde os usuários podem corrigir, atualizar ou melhorar o Google Maps com anotações ou experiências no local.

"O Google trata de buscas no mundo virtual, mas a maioria das pessoas vive no mundo real, no mundo físico", disse à AFP o vice-presidente da Google Earth and Maps, Brian McClendon.

"Queremos ser capazes de proporcionar um mapa no qual possamos ir para obter as melhores respostas sobre o que está a curta distância e transmiti-las de forma rápida e interativa", acrescentou.

O Google começou a aproveitar o conhecimento coletivo para a cartografia em 2008, com o lançamento da ferramenta Map Maker na Índia, onde havia pouco ou nenhum detalhe sobre as ruas nas cidades.

"Em alguns lugares do mundo, inclusive nas grandes cidades, os mapas eram essencialmente telas em branco", disse o gerente de produtos da Map Maker, James Kelly.

"Passamos de apenas acrescentar ruas a agregar todo tipo de coisa, como limites de velocidade e a conveniência ou não de ir de bicicleta", continuou. "Também possibilitamos acrescentar lojas e outros pontos de interesse".

A ferramenta permite aos usuários atualizar o Google Maps para mostrar características locais, de faixas de pedestres e ciclovias a estacionamentos e praças de jogos.

As mudanças constatadas são publicadas em questão de minutos e se disseminam aos mais de 800.000 sites na internet que têm incorporado o aplicativo Google Maps.

"Iniciamos o Map Maker para o mundo em desenvolvimento e o fizeram crescer", declarou McClendon. "Definitivamente, queremos que o Map Maker chegue a todos no mundo", acrescentou.

Uma comunidade global de milhares de voluntários revisa e aprova as modificações dos demais.

Quando é necessário confirmar as mudanças sugeridas, são incluídas imagens via satélite, dados públicos e informações coletadas pelos veículos do Street View que capturam imagens para fornecer imagens dos locais nos mapas.

As fronteiras estabelecidas politicamente não podem ser modificadas.

O Google considera uma vantagem estratégica o fato de que seu serviço de mapas online seja o preferido dos internautas porque estes cada vez confiam mais nos celulares inteligentes ou nos tablets para saber como chegar a algum lugar, escolher um restaurante ou checar outro tipo de informação sobre o trajeto.

Os sensores de posicionamento dos celulares inteligentes permitem a lojas e eventos fazer anúncios.

Para McClendon, um programa de mapas eficiente é tão importante que pode determinar a compra de um celular inteligente e não de outro, talvez um equipado com o sistema operaracional Android do Google no lugar de um iPhone da Apple.

"Grande volume da informação do mundo é geográfica", disse. "Confiar em obter as respostas certas e ser capaz de viajar com um mapa exato do mundo é um poderoso diferenciador", disse.

Em junho a Apple anunciou que tiraria o aplicativo Google Maps de seu novo sistema operacional iOS para iPhone, iPad e iPod Touch e a substituiria por seu próprio serviço de mapas.

"Os serviços de localização, os mapas, são um ativo estratégico chave no campo dos serviços móveis", disse na ocasião à AFP o analista da NPD, Ross Rubin.

© 2012 AFP

Adicionar comentário

Comentários

Adicionar comentário