Estudo indica que parar de fumar engorda mais do que se pensava

Kioskea quarta 11 de julho de 2012 - 16:17:15


A maior parte dos quilos é acumulada nos três primeiros meses

Deixar de fumar leva a um ganho de peso médio de 4kg a 5kg no primeiro ano, significativamente maior do que se pensava.

Deixar de fumar leva a um ganho de peso médio de 4kg a 5kg no primeiro ano, significativamente maior do que se pensava, aponta um estudo divulgado nesta quarta-feira.

A maior parte dos quilos é acumulada nos primeiros três meses, escreveu uma equipe de pesquisadores médicos na publicação eletrônica bmj.com, enquanto outro grupo ressaltou que os benefícios para a saúde superam o risco de engordar.

Para os ex-fumantes que não usaram a terapia de substituição da nicotina, o ganho médio de peso foi de 1,1kg em um mês, 2,3kg em dois, 2,9kg em três, 4,2kg em seis e 4,7kg depois de um ano.

Os números são "significativamente maiores do que os 2,9kg geralmente anunciados", frisaram os pesquisadores, de França e Grã-Bretanha. "Além disso, o ganho de peso está bem acima do que os 2,3kg que as mulheres fumantes dizem estar dispostas a tolerar". Pesquisas anteriores mostraram que a nicotina inibe o apetite e pode acelerar o metabolismo.

Os pesquisadores compilaram dados de estudos realizados entre 1989 e 2011 em Estados Unidos, Europa, Austrália e leste da Ásia, para calcular as alterações de peso entre ex-fumantes. Cerca de 16% deles perderam peso, e 13% ganharam mais de 10kg no primeiro ano.

Em um editorial que acompanha o paper, especialistas da Espanha e da Austrália apontam que um ganho de peso modesto ameaça menos a vida do que o fumo: "O tabaco é a principal causa de mortes prematuras no mundo, sendo responsável por 5,1 milhões de óbitos anualmente. A obesidade, juntamente com o sobrepeso, causa 2,8 milhões de mortes."

Os pesquisadores indicaram que o medo de engordar pode desencorajar algumas pessoas a parar de fumar, e pediram novas pesquisas que identifiquem aqueles com maior risco de ganhar peso, para que sejam monitorados.

© 2012 AFP

Adicionar comentário

Comentários

Adicionar comentário