Mais de 90 pessoas morreram em inundações no sul da Rússia

Kioskea sábado 7 de julho de 2012 - 12:40:49


Foto liberada pelo Ministério do Interior russo mostra a cheia na cidade de Gelendzhik

Noventa e nove pessoas morreram nas inundações ocasionadas pelas chuvas torrenciais registradas na região de Krasnodarsky, sul da Rússia, na pior ocorrência do tipo em uma década e que afetou cerca de 13.000 habitantes, indicou uma fonte policial no sábado.

As inundações na região russa de Krasnodar (sul) causaram a morte de 99 pessoas e afetaram cerca de 13.000 habitantes da área, no pior desastre natural do tipo em décadas, informaram as autoridades neste sábado.

Os habitantes foram pegos completamente de surpresa pela força das águas, que tomaram conta das ruas e invadiram as casas em questão de minutos.

No distrito de Krymsk, o mais atingido pela tragédia, as autoridades localizaram 88 corpos, incluindo uma criança de dez anos, segundo o porta-voz da polícia regional, Igor Zhelyabin.

As autoridades não sabem explicar o grande número de mortos, afirmando apenas que as inundações pegaram de surpresa as pessoas que dormiam.

"Tudo aconteceu muito rápido à noite", afirma a administração regional em um comunicado.

Zhelyabin não quis se aventurar em especulações quanto ao alto número de mortos, e afirmou apenas que Moscou já iniciou uma investigação.

Na internet, no entanto, muitos russos especulam que tantas mortes podem ser o resultado de uma comporta rompida num reservatório de água. As autoridades negam essas afirmações.

"Infelizmente, os rumores correm mais rápido que as informações oficiais", afirmou uma porta-voz do governo regional, Anna Minkova, segundo a rádio Echo de Moscou.

"Não há reservatório, não há comporta aberta", enfatizou, acrescentando que o distrito não possui um reservatório que seria capaz de causar a inundação.

Nove pessoas morreram na cidade de Gelendzhik, no Mar Negro, e outras duas no porto de Novorossiisk, segundo Zhelyabin.

As vítimas incluem duas mulheres e três homens eletrocutados em Gelendzhik na sexta.

Tatyana, moradora de Krymsk, disse que tudo aconteceu muito de repente.

"A água subiu muito depressa. Inundou a casa das pessoas em dez minutos", contou.

Ela acrescentou que os serviços de emergência não emitiram qualquer tipo de alerta.

"Muitas pessoas mais velhas deviam estar dormindo e provavelmente morreram", acrescentou.

"Pela manhã, havia barcos nas ruas. Uma mulher passou a noite numa árvore até ser resgatada".

Choveu em Gelendzhik em 24 horas o correspondente a cinco meses, segundo a administração local.

Em Novorossiisk, o maior porto da Rússia no Mar Negro, as chuvas de 24 horas corresponderam a dois meses.

Uma célula de emergência foi formada para tentar colocar a situação sob controle, segundo um funcionário do porto, Mikhail Sidorov.

"Em alguns lugares, o nível da água atingiu um metro e meio", afirmou.

As inundações e deslizamentos afetaram as operações do porto e a operadora Transneft informou que interromperá temporariamente o transporte de petróleo.

"Vladimir Putin está recebendo informações regulares sobre a situação", afirmou Kremlin numa declaração.

O governador de Krasnodar, Alexander Tkachev, afirmou ter falado por telefone com o presidente Putin e o primeiro-ministro Dmitri Medvedev e pedido ajuda.

© 2012 AFP

Adicionar comentário

Comentários

Adicionar comentário