Kioskea
Pesquisar

Primeira separação manual de naves chinesas em órbita

Kioskea quinta 28 de junho de 2012 - 07:06:10


A visão da nave Shenzhu IX

A nave espacial chinesa Shenzhu IX se separou do módulo Tiangong-1 utilizando por primeira vez um sistema manual pilotado por um dos três astronautas que devem retornar à Terra na sexta-feira.

A nave espacial chinesa Shenzhu IX se separou do módulo Tiangong-1 utilizando por primeira vez um sistema manual pilotado por um dos três astronautas que devem retornar à Terra na sexta-feira.

Os três astronautas, incluindo uma mulher pela primeira vez, se instalaram a bordo da Shenzhu IX antes do desacoplamento, que foi comandado por Liu Wang, o astronauta que coordenou o primeiro acoplamento manual em órbita da China, realizado no domingo passado.

O acoplamento manual era a principal tarefa da missão Shenzhu IX dentro do programa de voo tripulado chinês, que pretende dotar a China de uma estação orbital tripulada permanente até 2020, seguindo o modelo da antiga estação russa Mir ou da Estação Espacial Internacional (ISS).

O domínio do acoplamento orbital é uma etapa crucial na conquista espacial, superada por russos e americanos nos anos 70.

O presidente chinês, Hu Jintao, felicitou na terça-feira os três cosmonautas, Jing Haipeng, Liu Yang e Liu Wang, em uma conversa exibida ao vivo na televisão.

O primeiro acoplamento entre o módulo Tiangong-1, lançado em 29 de setembro do ano passado, e uma nave não tripulada, Shenzhu VIII, aconteceu em 3 de novembro.

A Shenzhu IX, primeira missão tripulada chinesa a executar um acoplamento orbital, se uniu primeiro a Tiangong-1 de maneira automática, antes da separação para o imediato acoplamento manual.

O retorno à Terra dos três taikonautas, como são chamados os astronautas na China, está previsto para a noite desta quinta-feira na Mongólia, após uma missão de três dias.

Este é o quarto voo espacial tripulado do país e o mais longo. Em 2003, a China se tornou o terceiro país do mundo a enviar homens ao espaço por seus próprios meios, depois da União Soviética e dos Estados Unidos.

© 2012 AFP

Adicionar comentário

Comentários

Adicionar comentário