Kioskea
Pesquisar

América Latina perderia US$ 100 bilhões com mudanças no clima

Kioskea terça 5 de junho de 2012 - 16:19:43


O pescador com a carcaça de um jacaré morto em rio afetado pela seca em Manaus, dezembro de 2009

A América Latina deveria gastar 110 bilhões de dólares por ano até 2050 para reduzir as emissões de carbono, se não quiser perder uma quantia equivalente com os impactos das mudanças climáticas em meados do século, revelou um relatório publicado nesta terça-feira.

A América Latina deveria gastar 110 bilhões de dólares por ano até 2050 para reduzir as emissões de carbono, se não quiser perder uma quantia equivalente com os impactos das mudanças climáticas em meados do século, revelou um relatório publicado nesta terça-feira.

Se a temperatura do planeta aumentar 2ºC nas próximas quatro décadas, "América Latina e Caribe sofrerão perdas anuais da ordem de US$100 bilhões no ano 2050", destacou o informe, elaborado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O texto foi divulgado às vésperas da conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, entre 13 e 22 de junho.

A América Latina não é uma região que se destaque pelas emissões de gases causadores do efeito estufa, pois só produz 11% do total mundial, explicaram os autores do texto.

Mas a região é muito vulnerável aos seus efeitos, "devido à sua dependência econômica em exportações de recursos naturais, à existência de uma rede de infraestrutura especialmente sensível aos fenômenos climáticos", acrescentou o informe.

As consequências seriam "diminuição nos rendimentos agrícolas, o desaparecimento de geleiras, inundações, secas e outros eventos", destacou o texto.

Só em exportações agrícolas, a América Latina e o Caribe poderiam perder de US$ 30 a 52 bilhões de dólares ao ano.

"O gasto de 110 bilhões de dólares ao ano em uma região que enfrenta enormes problemas de desenvolvimento não constitui uma proposta menor", admitiu Pablo Gutman, Diretor de Economia Ambiental da organização Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês), que colaborou com o documento.

"Esta é a forma mais certeira de assegurar que América Latina e Caribe continuem prosperando de forma sustentável", acrescentou Walter Vergara, chefe da Divisão de Mudanças Climáticas do BID.

O estudo prevê que a região dobrará até 2050 seus níveis de emissões de gases de efeito estufa que, segundo os cientistas, são a causa do aquecimento do planeta.

Das 4,7 toneladas per capita atuais, a região passará a 9,3 toneladas.

O principal efeito do aumento da temperatura, preveem os especialistas, será o aumento do nível do mar, que poderia causar a perda de até 50% dos recifes de coral no Caribe.

© 2012 AFP

Adicionar comentário

Comentários

Adicionar comentário