O bus Firewire (iLink / IEEE 1394)

Abril 2015

Apresentação do Firewire (IEEE 1394)

O bus IEEE 1394 (nome da norma à qual faz referência) foi criado no fim do ano 1995 a fim de fornecer um sistema de interconexão que permite fazer circular dados a alta velocidade em tempo real. A Apple deu-lhe o nome comercial de “Firewire”, que é o mais usado. A Sony deu-lhe igualmente o nome comercial de i.Link, enquanto a Texas Instruments preferiu o nome de Lynx.

Trata-se assim de uma porta, equipando certos computadores, permitindo conectar periféricos (nomeadamente câmaras digitais) a débito muito elevado. Existem assim cartas de extensão (geralmente no formato PCI ou PC Card / PCMCIA) que permitem dotar um computador de conectores FireWire. Os conectores e cabos FireWire são identificáveis graças à sua forma, bem como a presença do logotipo seguinte:

Logo Firewire


As normas FireWire

Existem diferentes normas FireWire que permitem obter os débitos seguintes:


NormaDébito teórico
IEEE 1394a
IEEE 1394a-S100100 Mbit/s
IEEE 1394a-S200200 Mbit/s
IEEE 1394a-S400400 Mbit/s
IEEE 1394b
IEEE 1394b-S800800 Mbit/s
IEEE 1394b-S12001200 Mbit/s
IEEE 1394b-S16001600 Mbit/s
IEEE 1394b-S32003200 Mbit/s



A norma IEEE 1394b é igualmente chamada FireWire 2 ou FireWire Gigabit.

Conetores Firewire

Existe diferentes conetores FireWire para cada uma das normas IEEE 1394.

  • A norma IEEE 1394a define dois conectores:
    • Os conectores 1394a-1995 :

connecteur 1394a-1995
    • Os conectores 1394a-2000 chamados miniDV porque são utilizados com as câmaras de vídeo digitais DV (Digital Vídeos):

connecteur 1394a-2000
  • A norma IEEE 1394b define dois tipos de conectores desenhados de modo que as tomadas 1394b-Beta possam encaixar nos conectores Beta e Bilingual mas que as tomadas 1394b Bilingual possam encaixar apenas nos conectores Bilingual :
    • Os conectores 1394b Beta :

connecteur 1394b Beta
    • Os conectores 1394b Bilingual :

connecteur 1394b Bilingual

Funcionamento do bus Firewire

O canal IEEE 1394 segue mais ou menos a mesma estrutura que o bus USB, mas utiliza apenas um cabo composto de seis fios (dois pares para os dados e para o relógio, e dois fios para a alimentação eléctrica) que lhe permitem obter um débito de 800 Mb/s (deveria atingir em breve 1.6 Gb/s, ou mesmo 3.2 Gb/s a mais longo prazo). Assim, os dois fios dedicados ao relógio mostram a diferença essencial que existe entre o canal USB e o canal IEEE 1394, ou seja a possibilidade de funcionar de acordo com dois modos de transferência:

  • o modo de transferência assíncrono : O modo de transferência assíncrono baseia-se numa transmissão de pacotes a intervalos de tempo variáveis. ISto significa que o hóspede envia um pacote de dados e espera receber um aviso de recepção do periférico. Se o hóspede receber um aviso de recepção, envia o pacote de dados seguinte, se não o pacote é de novo reenviado ao fim de um tempo de espera..
  • o modo isócrono : O modo de transferência isócrono permite o envio de pacotes de dados de dimensão fixa a intervalos de tempo regulares. Um nó, chamado Cycle Master está encarregado de enviar um pacote de sincronização (chamadoCycle Start packet) todos os 125 microssegundos. Desta maneira, nenhum aviso de recepção é necessário, o que permite garantir um débito fixo. Além disso, já que nenhum aviso de recepção é necessário, o endereçamento dos periféricos é simplificado e a banda concorrida economizada permite ganhar em velocidade de transferência.



Outra inovação do padrão IEEE 1394: a possibilidade de utilizar pontes, sistemas que permitem ligar vários bus entre eles. Com efeito, o endereçamento dos periféricos faz-se graças a um identificador de nó (ou seja, de periférico) codificado em 16 bits. Este identificador é cindido em dois campos: um campo de 10 bits que permitem designar a ponte e um campo de 6 bits que especificam o nó. É por conseguinte possível ligar 1023 pontes (quer 210 -1), sobre cada um dos quais pode haver 63 nós (ou 26 -1), é assim possível dirigir 65535 periféricos! O padrão IEEE 1394 permite também o Hot plug'n play, mas enquanto que o canal USB é destinado à utilização de periféricos pouco ávidos em recursos (rato ou teclado, por exemplo), a banda concorrida do IEEE 1394 destina-se a utilizações multimédia sem precedentes (aquisição vídeo, etc.).

Para uma leitura offline, é possível baixar gratuitamente este artigo no formato PDF:
O-bus-firewire-ilink-ieee-1394.pdf

A ver igualmente


FireWire Bus (iLink / IEEE 1394)
FireWire Bus (iLink / IEEE 1394)
Bus FireWire (iLink / IEEE 1394)
Bus FireWire (iLink / IEEE 1394)
Der Firewire-Bus (iLink / IEEE 1394)
Der Firewire-Bus (iLink / IEEE 1394)
Le bus Firewire (iLink / IEEE 1394)
Le bus Firewire (iLink / IEEE 1394)
Il bus Firewire (iLink / IEEE 1394)
Il bus Firewire (iLink / IEEE 1394)
Este documento, intitulado « O bus Firewire (iLink / IEEE 1394) »a partir de Kioskea (pt.kioskea.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.