Spam (indesejado)

Maio 2015

Introdução ao spam

Desde o World Wide Web existe, os recursos democratizaram-se e o fluxo de informações que circulam na rede das redes não parou de aumentar. Contudo, o conteúdo destas informações nem sempre evoluiu no bom sentido e numerosas pessoas rapidamente têm compreendido como servir-se abusivamente destes recursos.

Chama-se “spam” ou “indesejado” (os termos pourriel, correio indesejável ou junk mail às vezes são utilizados igualmente) ao envio maciço de correio electrónico a destinatários que não o solicitaram.

Noção de spam


O termo “spam” designa o envio maciço de correio electrónico (frequentemente de tipo publicitário) a destinatários que não o solicitaram e cujos endereços foram recolhidos geralmente na Internet /contents/268-internet. A palavra “spam” provém do nome de uma marca presunto comercializado pela companhia Hormel Foods. A associação desta palavra ao correio abusivo provém de uma peça de Monty Python (Monty Python' s famous spam-loving vikings) que se desenrola num restaurante viking cuja especialidade é presunto de marca “Spam”. Neste sketche, enquanto que um cliente encomenda um prato diferente, os outros clientes põem-se a cantar em coro “spam spam spam spam spam…” de modo que não se ouve mais o pobre cliente!

As pessoas que praticam o envio maciço de correio publicitário são chamadas “spammers” , uma palavra que tem doravante uma conotação pejorativa!

Porquê o spam?

O primeiro objectivo do spam é fazer publicidade ao mais baixo preço através do “envio maciço de correio electrónico não solicitado” (em inglês junk mail) ou por “multipostagem abusivo” (EMP).

Os spamers pretendem às vezes, de má fé, que os seus destinatários se inscreveram espontaneamente na sua base de dados e que o correio assim recebido é fácil de suprimir, o que constitui, no fim de contas, um meio ecológico para fazer publicidade.

Modo de funcionamento dos spamers

Os spamers recolhem endereços electrónicos na Internet (nos fóruns, nos sites Internet, nos grupos de discussão, etc.) graças a softwares chamados “robots”, percorrendo as diferentes páginas e armazenando à passagem numa base de dados todos os endereços que há.


De seguida, basta ao spammeur lançar uma aplicação que envia sucessivamente a cada endereço a mensagem publicitária

Os efeitos do spam

Os inconvenientes essenciais do spam são:

  • o espaço que ocupa nas caixas de correio das vítimas;
  • a difícil consulta das mensagens pessoais ou profissionais entre numerosas mensagens publicitárias e o aumento do risco de supressão errada ou de não leitura de mensagens importantes;
  • a perda de tempos causada pela triagem e pela supressão das mensagens não solicitadas;
  • o carácter violador ou degradante de textos ou imagens veiculados por estas mensagens, podendo chocar a sensibilidade dos mais jovens;
  • a banda que desperdiça na rede das redes.



O spam induz igualmente custos de gestão suplementares para os fornecedores de acesso à Internet (FAI), que se reflectem no custo das suas assinaturas. Este custo adicional está nomeadamente ligado a:

  • instalação dos sistemas antispam;
  • a sensibilização dos utilizadores;
  • a formação do pessoal;
  • o consumo de recursos suplementares (servidores de filtragem, etc.).

Combater o spam

Os spamers utilizam geralmente falsos endereços de envio, é por conseguinte totalmente inútil responder. Além disso, uma resposta pode indicar ao spammer que o endereço está activo.

Da mesma maneira, quando recebe um spam (correio não solicitado), pode acontecer que uma ligação na parte inferior da página lhe proponha não receber mais este tipo de mensagem. Se tal for o caso, há grandes possibilidades que a ligação permita ao spammer identificar os endereços activos. Assim, é aconselhável suprimir a mensagem.

Existem igualmente dispositivos antispam que permitem localizar e, se for caso disso, suprimir as mensagens indesejáveis com base em regras evoluídas. Distinguem-se geralmente duas famílias de software antispam:

  • Os dispositivos antispam do lado do cliente, situado a nível do cliente de serviço de mensagens. Tratam-se geralmente de sistemas que possuem filtros que permitem identificar, com base em regras predefinidas ou numa aprendizagem .
  • Os dispositivos antispam do lado do servidor, permitem uma filtragem do correio antes da entrega aos destinatários. Este tipo de dispositivo é, de longe, o melhor porque permite parar o correio não solicitado à chegada e evitar o congestionamento das redes e caixas de correio. Uma solução intermédia consiste em configurar o dispositivo antispam do servidor de forma a marcar as mensagens com um cabeçalho específico (por exemplo X-Spam-Status: Yes). Graças a esta marcação, é fácil filtrar as mensagens a nível do cliente de serviço de mensagens.



No caso de obstrução ou saturação total da caixa de correio, a solução extrema consiste em alterá-la. Contudo, é aconselhável guardar a antiga caixa de correio durante um lapso de tempos suficiente para recuperar os endereços dos seus contactos e ficar em condições de comunicar o novo endereço às únicas pessoas legítimas.

Evitar o spam

A fim de evitar o spam, é necessário divulgar o seu endereço electrónico o menos possível e a esse respeito:

  • Não retransmitir as mensagens (anedotas, etc.) que convidam o utilizador a transmitir o correio ao maior número de contactos possível. Tais listas são na realidade uma sorte para os colectores de endereços. É possível reencaminhar a mensagem assegurando-se de esconder os endereços dos destinatários precedentes.
  • Evitar ao máximo publicar o seu endereço electrónico em fóruns ou sites Internet.
  • Na medida do possível, substituir o seu endereço electrónico por uma imagem (não detectável pelos aspiradores de endereços) ou decompondo-o (por exemplo “Jean travessão François arroba kioskea ponto net”.
  • Criar um ou vários “endereços-descartáveis” que servem unicamente para se inscrever ou identificar nem sites não considerados dignos de confiança. O cúmulo do refinamento, quando tem essa possibilidade, consiste em criar tantos pseudónimos de endereços quantas as inscrições, tendo o cuidado de inscrever o nome da empresa ou o site. Assim, no caso de recepção de um correio não solicitado será fácil identificar onde provém “a fuga de informação”.
Para uma leitura offline, é possível baixar gratuitamente este artigo no formato PDF:
Spam-indesejado .pdf

A ver igualmente


Spam
Spam
Correo no deseado (spam)
Correo no deseado (spam)
Spam
Spam
Spam (pollupostage)
Spam (pollupostage)
Spam (Posta indesiderata)
Spam (Posta indesiderata)
Este documento, intitulado « Spam (indesejado) »a partir de Kioskea (pt.kioskea.net) está disponibilizado sob a licença Creative Commons. Você pode copiar, modificar cópias desta página, nas condições estipuladas pela licença, como esta nota aparece claramente.